28 de abr de 2007

Traduções e documentos profissionais

Finalmente traduzimos nossos diplomas e históricos...
depois de muito pesquisar e analizar em relação a dúvida: enviar para o MICC; tradução juramentada e e-mails para nossa ordem, decidimos traduzir numa empresa especializada ( até mais barata que tradutores juramentados particulares ) aqui mesmo em Brasília. Mesmo assim... aja dinheiro!! vai ver que é por isso que dizem que dentista ganha tanto dinheiro no Quebec, digo, os que conseguem a permiss, afinal, tem que ganhar mesmo, é muito dinheiro para investir sem ter certeza que vai dar certo.
Ate´disse para o José Roberto, é investir em vc mesmo, afinal, se os processos são mesmos transparentes e claros como nós achamos e investigamos profundamente... é só se esforçar, estudar, estudar e estudar!!

Vamos lá então
Camila

6 de abr de 2007

Pré convocação de entrevista

Recebemos um e-mail do escritório dizendo que nossa entrevista será em São Paulo e no mês de Agosto. O José Roberto ficou bem feliz, mas eu confesso que me deixa um pouco anciosa pois achei que seria em Junho ou Julho e sendo em Agosto nosso timelime fica atrasado em relação a média geral, que seria um prazo de 4 meses e não 6 meses como o nosso.
Acho que tem gente demais tentando ir e acaba que BUA fica lotado de processo... nosso professor quebecois disse que vão inaugurar um escritório do Quebec em SP também, espero que sim... quem sabe nossa entrevista se adianta.
Enquanto isso... dá-lhe francês!!
Camila

Viagem ao Canadá - nossas impressões ( parte I )

Estivemos no Canadá com uma visão diferente a que tivemos na nossa viagem anterior que fizemos a alguns anos atrás, desta vez fomos com um caráter investigatório, aquele olho específico de " pretensos imigrantes".
- um país burocrata mas com processos bem estabelecidos e sem nosso habitual QI ( quem indique). Com todos que conversamos tivemos a mesma impressão, que, é só informação e seguir as instruções descritas em site ( tudo que se pergunta eles já te questionam de vc já acessou o site);
- percebemos em Montreal e Gatineau uma forte comunicação bilingue, isso nos deixa animados pois, queremos dar a oportunidade aos nossos filhos de serem fluentes nas duas linguas;
- os quebecois são bem atenciosos, receptivos e disponíveis, já o pessoal de Ottawa e Toronto bem diferente, mais parecidos com os americanos;
- visitamos um MICC e não foram tão abertos às informações. Acho que se soubéssemos onde iríamos morar e com endereço definido, seria diferente, se, este for o caso, já ficamos sabendo que o agente coloca imediatamente na sala de entrevista e te atende, ajuda e orienta com muita atenção e dedicação. Inclusive uma imigrante que acompanhamos o blog e encontramos lá, nos disse que até hoje, passado 1 ano, a agente responsável por eles está sempre disponível, eles entram em contato com ela sobre qq coisa que tenham dúvida. E ela tb liga para eles para perguntar se teve alguma mudança nos planos da família e orientá-los;
- sobre o curso de francês não tivemos boas informações... é o mesmo que escutamos aqui nas comunidades que participamos. Muito lentos e se quiser aprender mais rápido e com flexibilidade para fazer outros cursos... o melhor é investir num curso melhor.
O bom é que garante USD 400 por mês para quem faz;
- a bolsa auxilio para casais com filhos funciona perfeitamente, tanto a do Canadá ( federal ) quanto a provincial ( quebec ), são alterados os valores depois que vc declarar o imposto de renda do ano subsequente, aí eles analisam se vc continua precisando ou não;
- oportunidades é o que não falta... quem corre atrás consegue abrir as portas mas, escutamos muitas estórias de brasileiros que só falam inglês, de outros que só se enturmam com brasileiros, formando uma casta fechada e outras de brasileiros que negam sua raça... renegam a brasileirada, tem gente para tudo!!!

Bem esta é a primeira parte...
depois escrevo mais pq quero deixar tudo registrado para a posteridade, rsrs.

Camila